lunes, 7 de junio de 2021

INDIA: Protest Indian Prime Minister's Programmes at Portugal to Sell the Indian resources to EU and Make Agreements in Military Front (30 April)


O 30 de abril o PCI (maoista) publicou un comunicado chamando a mobilización contra da visita de Modi a Portugal, respaldando así a campaña prolongada iniciada polo noso Comité o 5 de abril.

COMMUNIST PARTY OF INDIA (MAOIST) Central committee

Protest Indian Prime Minister's Programmes at Portugal to Sell the Indian resources to EU and Make Agreements in Military Front

Dear Comrades and friends of Indian Revolution at abroad particularly EU and Britain, Red Salutes

On behalf of Central Committee I appeal all of you and to the oppressed people, proletariat of EU especially Portugal to protest and resist Brahmanical Hindutva Fascist Indian Prime Minister Modi's visit to Porto of Portugal to participate in a meeting between EU and India on 8th of May which is aimed to make commercial and military agreements to serve the Imperialist interests which are in essence will only pave the way for the loot and plunder of Indian people and against the interests of the working class people of Portugal and EU.

Now my country is facing very severely the 2ndwave of Corona pandemic crisis. Yesterday it has broken all time record with more than 3 lakh infected cases within 24 hours. The people are under severe panic. But country's Prime Minister did not bother about it and he is too busy in his routine election business and his Make in India flagship programme. The above said meeting is also part of it. In India the central and all States governments are limited to the only propaganda against pandemic. Newly invented Corona vaccine has been made a competitive commodity in the market. Our Party is seriously condemns the government attitude towards the people of the country.ndian peasants are on strike since last 26th November (Indian Constitution Day) against central government's farm laws which are passed in benefit of big corporate houses. So many small and middle class businessmen were lost their businesses due to Modi's demagogic and genocidal economic policies like demonetisation and GST. These people's businesses were very badly affected due to lockdown in 2020. Now they are against to lock down and decided to go on protest against it particularly in Maharashtra. Students and progressive intellectuals all over the country are bitterly opposing the new national education policy which is upholding the Hindutva, privatisation-corporatisation and extreme centralisation thought. proletarian of the Country is opposing the government’s LPG policies, pro capitalist changes in Labour laws. Democratic, secular, progressive sections are strongly opposing the CAA and other such acts which are against the spirit of the pro people aspects of the Indian constitution and completely based on so-called hindu majoritarian religion.The Indian indigenous people are demanding to implement the government laws like PESA and New Forest Act-2006 to get their rights on Jal (water), Jungle (Forest), Jameen (Land). But all the governments are implicating them under draconian laws and punishing them. Our Party-CPI (Maoist) strongly condemns all the anti-people policies of the Central and State governments. In Modi Raj number of democrats and secularists, pro people historians, intellectuals, writers, artists, rationalists, advocates and journalists were arrested and their voices were suppressed. Some pro people intellectuals were assassinated like Gouri Lankesh, Govind Pansare, Kalburgi and Narendr Dabholkar. Mob lynching cases are growing year by year. In Indian caste society the dalit and the muslm community people are becoming victims to it. Our Revolutionary Mass Organisations are building the mass movements with genuine demands of the people along with democrats and pro people elements. This has become unbearable to the exploiting ruling classes particularly reactionary Hindutva forces which are in power at Centre and States. They are branding them as Urban Maoists and suppressing their voices and haunting them. Now dozens of Mass Organisation’s leaders are behind the bars. As you know our Party is building the revolutionary movement in India since last five decades. Peoples Liberation Guerrilla Army is leading the Armed Struggle under the leadership of our party. But the Indian ruling classes those are collaborated with their imperialist masters particularly US imperialists are trying to root out our party and the revolutionary movement. They deployed more than 6 lakhs police and para - military forces which are well trained in counter insurgency guerrilla warfare. Since 2017 their country wide Counter Guerrilla Operation SAMADHAN is going on with five years target of moping of the movement. Especially since last one year the cover of operation Prahaar they are raising war against us and people. Our PLGA dedicatedly and determinedly resisting it along with revolutionary masses. Recently it ambushed the notorious DRG (District Reserve Group) and other state and central para military forces at Kadenaar (Narayanpur District, Chattisgarh), Jeeraguda (Bijapur, Chattisgarh) and West Singhbhum (Jharkhand) to protect the people's power i.e. Revolutionary Peoples Committees and revolutionary movement. We lost more than 1,000 lives of our cadres including Party leaders, PLGA fighters and revolutionary masses in fascist Modi Raj since 2014. The Indian Home Minister hypocrite Amit Sha and the Chattisgarh State's Chief Minister Bhupesh Bhagel have jointly decided to send more police forces to take revenge on revolutionary people. They are very eager to start even air strikes. Maharashtra Chief Minister Uddav Thakre has already said that Maoists are more dangerous than Covid-19 and provoked the C-60 Commandos to continue their combing operations in Gadchiroli Jungles. Since more than last two decades the strategic areas of our revolutionary movement have become as an undeclared war zones. Massacres and Khaki gang rapes are going on and countless police atrocities are being committed on people. They are intensifying all these anti people activities to suppress the revolutionary movement. So, at last I appeal all the comrades and friends of Indian Revolution at abroad, the proletarian masses of EU especially of Portugal to protest and resist the fascist Indian Prime Minister's Portugal visit which is aimed to loot India more and more by EU.

With Revolutionary Greetings, Abhay, Spokes Person, Central Committee CPI (Maoist)

jueves, 6 de mayo de 2021

INDIA: Palabras de Azadi (crónicas dende a India.1) India é vermella, pero pola sangue dos mortos a consecuencia dun goberno inepto.

 


Un día de maio, calquera día desde que o inferno se desatou en forma de pandemia incontrolada porque o goberno de India teña outras prioridades que un virus que, aparentemente non afectaba ao país, aínda que houbera un informe datado en novembro do 2020 que avisaba do cru que seria a chamada segunda onda e o  cal  ignorouse porque non  encaixaba nos plans do goberno.

No informe se avisaba da falla de camas e á fala de oxíxeno.

https://www.newslaundry.com/2021/04/28/mps-panel-predicted-second-covid-wave-in-november

Esta chamada segunda onda, está sendo fatal para unha poboación xa gravemente afectada tra la chamada primeira onda debido a un confinamento imposto con só unha xanela de catro horas e que, afectou de cheo aos chamados temporeiros que quedaron sos e sen medio de subsistencia, sen axudas… ata que a presión popular fixo reaccionar aos diferentes gobernos, pois foi a sociedade civil a que creou cadeas de axuda de todo tipo para tratar de aliviar aos afectados.



India 2020. Enriba, móstranse as tumbas de aqueles que morreron debido á pandemia. Na parte inferior, os mortos debido á pobreza.

https://www.bbc.com/news/world-asia-india-52086274

Ademais, a chamada primeira onda empregouse para culpabilizar aos musulmáns no só da pandemia se non da súa expansión.

O mencionado informe foi ignorado porque había eleccións á volta da esquina en cinco estados, nos cales o goberno estaba interesado só en gañar a calquera prezo e dando igual si había xente asasinada por pertencer a unha minoría ou asasinada por un virus que o partido no goberno propagaba a través de mitins políticos multitudinarios.



O home da foto é o ministro do Interior:  Amit Shah e a foto pertence a un dos mitins políticos organizados polo partido do goberno no estado de West Bengal (un dos seus principais obxectivos).

Ademais, o goberno decidiuse adiantar, avisado polos astrólogos, o maior festival relixioso da India porque o ano que ven que é cando tiña que celebrarse, os astros non serían favorables.

https://thewire.in/government/kumbh-2021-astrology-mortality-and-the-indifference-to-life-of-leaders-and-stars

 "Adiantouse" un ano, 2021, porque as "configuracións astrolóxicas" do "Sol entrando en Aries" e "Xúpiter entrando en Acuario" se daban en 2021. Isto sucede unha vez cada 83 anos, e debese á necesidade de conciliar as cartas de configuración astrolóxica co calendario de uso regular.

O festival , que empezou en xaneiro, rematou o pasado mes de abril en Haridwar (Uttarakhand) e, aínda que se anunciou o incríbel incremento de afectados polo virus, o festival non só non se suspendeu, se non que se permitiu que miles de persoas ( entre 900 mil e dous millóns )se bañaran no río Ganges pola súa salvación nos días mas importantes.

Á par que as campañas políticas e os festivais relixiosos, o modo de gobernar mantívose e mantense estilo hindutva é dicir: arresto de disidentes, encarceramento de estudantes, periodistas, profesores…máis aqueles que difundan nas redes sociais chamadas de auxilio pedindo camas, oxixeno, medicamentos ou simplemente denuncien á realidade….

Hoxe na India, os berros pola vida confúndense no aire con ós lamentos polos mortos e o fume das piras funerarias é o nexo entre tanta desesperación.

É por iso que:





miércoles, 28 de abril de 2021

INDIA: Viva o Primeiro de Maio internacionalista! PCI (maoísta)

Traduçom: Galiza Vermelha

https://galizavermelha.wordpress.com/2021/04/28/viva-o-primeiro-de-maio-internacionalista/

                                                          

PARTIDO COMUNISTA DA ÍNDIA (MAOISTA)

Comité Central

Comunicado de imprensa – 17 de abril de 2021

Viva o Primeiro de Maio Internacionalista!

Vamos trabalhar por umha maior unidade e organizaçom do

Proletariado revolucionário mundial, dos trabalhadores e das suas organizaçons!

A classe operária do mundo, especialmente o proletariado, vai celebrar o Primeiro de Maio deste ano na véspera dos 150 anos da “Comuna de Paris”, onde o proletariado ergueu a Bandeira Vermelha e alcançou o poder estatal. Este é um grande dia festivo para todo o proletariado mundial. É o dia dos direitos do proletariado mundial. O Primeiro de Maio é o dia em que o proletariado avalia o seu equilíbrio de forças e se compromete a trabalhar incansavelmente, coa determinaçom mais firme e a mobilizar todas as suas forças para a sua libertaçom, independência, igualdade e fraternidade e para realizar as revoluçons proletárias e a Revoluçom Socialista Mundial. Por ocasiom do Primeiro de Maio, o Comité Central de nosso Partido transmite ao proletariado mundial suas sinceras Saudaçons Revolucionárias. Ele presta umha humilde homenagem revolucionária a todos os trabalhadores que dérom suas vidas para conquistar seus direitos.

O imperialismo está enfrontando umha grave crise em todo o mundo. As classes dominantes exploradoras estám se entregando a umha série de ataques e conspiraçons para transferir o fardo desta crise para o proletariado e para intensificar a exploraçom da força de trabalho. No momento em que a crise mundial estava prestes a estourar de forma mais intensa do que a crise financeira e económica de 2008, a pandemia COVID dominou o mundo inteiro. Este é um dos vírus mortais que os imperialistas criárom em sua busca de lucros. Enquanto o mundo contemporâneo sofre coa pandemia, milhons de trabalhadores migrantes perdérom seu sustento e estám nas ruas, as corporaçons multinacionais e suas empresas compradoras estám competindo polo negócio de vacinas e obtendo superlucros múltiplos. A globalizaçom imperialista resultou na expansom da economia capitalista mundial a um nível sem precedentes e assi as contradiçons entre o imperialismo e as nacionalidades oprimidas e os povos oprimidos, entre a burguesia e o proletariado e entre as forças imperialistas atingírom o seu ápice. Há um aumento da agressom imperialista e do ataque capitalista às nacionalidades e povos oprimidos. Umha redivisom dos países e mercados mundiais está acontecendo coa contenda entre os imperialistas, especialmente os imperialistas dos EUA e os Social-imperialistas da China pola hegemonia mundial e pola exploraçom das riquezas naturais dos países do mundo. A “guerra comercial” está colocando umha carga económica severa sobre o povo oprimido dos países atrasados. O proletariado, campesinato, classe média, mulheres, minorias religiosas, nacionalidades oprimidas, nacionalidades e outras comunidades que enfrontam discriminaçom racial e outras comunidades estám sofrendo de exploraçom e opressom económica, política e sociocultural muito severa. A disparidade entre ricos e pobres atingiu um nível sem precedentes. Pessoas trabalhadoras em todo o mundo sofrem coa pobreza, o desemprego, a fome, as desigualdades e a discriminaçom racial. Todas essas som as consequências nefastas da globalizaçom imperialista.

Além dos trabalhadores dos países atrasados, os trabalhadores dos países imperialistas e capitalistas também sofrem a mais severa exploraçom devido às políticas de exploraçom neo-coloniais. A situaçom e a necessidade da unidade do proletariado mundial estám crescendo dia a dia. Este é o momento dumha luita constante para acabar coas políticas de globalizaçom. Além do proletariado dos países imperialistas e capitalistas, as pessoas de todos os setores em vários países semicoloniais e neocoloniais estám luitando contra as políticas imperialistas de globalizaçom. A vanguarda proletária, ou seja, os Partidos Comunistas Revolucionários, deve liderar essas luitas. Hoje é cada vez maior a necessidade de avançar de forma mais unida e organizada nessa direçom.

Em nosso país, todas as classes oprimidas, seçons sociais e nacionalidades oprimidas, incluindo o proletariado e o campesinato, estám enfrontando o ataque violento do governo Modi na forma de Fascismo-Hindú Brahmánico com apoio imperialista. As luitas de trabalhadores, empregados e agricultores se intensificam a cada dia. No interesse do capital financeiro imperialista, o governo Modi lançou a Robótica, impressom 3D e Inteligência Artificial privando os trabalhadores da segurança no emprego e reduzindo as 44 leis trabalhistas existentes em 4 códigos para validar sua exploraçom. Os trabalhadores organizados e desorganizados estám fazendo agitaçons militantes contra esse ataque bifacial. Os agricultores da Índia estám travando umha luita sem precedentes e nom comprometedora centrada na capital do país. Os comerciantes som contra as GST. Milhares de trabalhadores e empregados organizados e nom organizados estám fazendo greves que se oponhem à fusom de bancos e à privatizaçom de empresas do setor público. Estudantes, professores e académicos som contra a Política Nacional de Educaçom – 2020 adotada polas Forças reacionárias hindus no centro. Os povos indígenas do país, incluindo aqueles nas áreas estratégicas que estám atuando como fortes centros do movimento revolucionário, estám luitando militantemente polos seus justos direitos. Castas trabalhadoras estám empreendendo luitas unidas contra a Ordem brahmánica baseada em castas que é umha das peculiaridades da Índia e sua exploraçom, opressom, supressom e discriminaçom. O estado está desencadeando a repressom sobre as forças democráticas e progressistas que apoiárom o povo que luita no país e os está encarcerando. As forças laicas estám luitando contra as políticas violentas comunais das Forças hindú-fascistas brahmánicas. Várias organizaçons de direitos humanos estám assumindo a exigência de retirar as leis fascistas draconianas que estám burocraticamente liberadas sobre o povo em luita.

Assi, vemos que os governos de todos os países atrasados do mundo estám agindo da mesma forma no interesse das Companhias corporativas multinacionais. Portanto, tornou-se mais vital para os partidos e organizaçons proletárias revolucionárias liderar as luitas de todos os trabalhadores que luitam em todos os países.

As luitas em grande escala das pessoas e nacionalidades oprimidas em todo o mundo nos últimos dous anos deixam claro que as condiçons som favoráveis à revoluçom. O proletariado mundial pode avançar na direçom de cumprir sua tarefa principal de realizar a Revoluçom Socialista Mundial, utilizando essas condiçons favoráveis. Existem duas tarefas estratégicas para as organizaçons genuínas de vanguarda do proletariado internacional. A primeira é lançar movimentos revolucionários dos trabalhadores e outras seçons oprimidas nos países capitalistas-imperialistas. O proletariado, o campesinato, outras classes democráticas e seçons sociais em cada um dos países semicoloniais e semifeudais devem ser organizados e construir e liderar os movimentos democráticos nacionais. A segunda é construir umha forte Frente Unida de movimentos comunistas de países capitalistas e movimentos nacional-democráticos de países neocoloniais e semicoloniais contra o imperialismo e seus compradores. Para este propósito, é essencial que os partidos e organizaçons proletárias genuínas estabeleçam umha Organizaçom proletária revolucionária internacional apropriada de acordo coas condiçons concretas contemporâneas. As Forças maoístas devem-se unir a todas as forças progressistas e democráticas em cada país e também a todas as forças democráticas anti-imperialistas contra o inimigo mundial. Ambas as tarefas estratégicas estám mutuamente relacionadas e desempenham um papel importante no avanço da Revoluçom Socialista Mundial.

No entanto, as organizaçons proletárias de vanguarda ainda nom som fortes dabondo para acompanhar as demandas do povo trabalhador e fornecer umha liderança unida para seus movimentos em direçom à libertaçom. Nosso Partido anunciou sua posiçom quanto à necessidade e formaçom de um Fórum Internacional para desenvolver a unidade e a solidariedade entre as vanguardas proletárias do mundo. O CC de nosso Partido apela às organizaçons irmãs para que respondam à nossa posiçom e avancem seus esforços nesta direçom.

Vamos luitar contra todos os tipos de ataques dos imperialistas. Vamos nos comprometer a liderar as luitas do povo anti-imperialista e luitar polo sucesso da Revoluçom Socialista Mundial. Vamos nos unir ainda mais e nos organizar nessa direçom. Essa é a necessidade nesta hora.

Viva o Primeiro de Maio! Viva a Revoluçom!

Viva a Revoluçom Socialista Mundial! Abaixo todos os matizes do revisionismo!

Abaixo o Imperialismo! Viva as Revoluçons Proletárias!

Abhay

Porta-voz

Comité Central

*Nota: O documento “Nossa posiçom sobre a formaçom dumha Organizaçom Internacional do Proletariado”, de fevereiro de 2017, também foi distribuído junto com esta declaraçom do Primeiro de Maio. https://www.bannedthought.net/India/CPI-Maoist-Docs/Statements-2017/InternationalOrgOfProletariat-Eng-23-3-2017-Final-View.pdf

jueves, 22 de abril de 2021

INDIA: O fascista e genocida Modi suspende a viagem a Porto, mas nós dende a Galiza continuaremos a dizer que não é bem-vindo!



A prensa burguesa informou, que o fascista e genocida Narendra Modi não irá ao Porto para a cimeira UE-Índia que se realizará em Porto o dia 8 de maio, devido aos problemas que a Índia atravessa com a pandemia. Em qualquer caso, a reunião será realizada telematicamente. 

Venha ou não venha, o CGAGPI continuará lutando para que o fascista e genocida Modi não seja bem recebido em nenhum lugar do mundo e para que o seu criminoso governo seja esmagado pela guerra popular  das massas indianas e dos camaradas do PCI (maoísta).
 
O CGAPI faz  um balanço muito positivo da campanha realizada na Galiza, por isso gostaria de dar os parabéns a todos os companheiros e companheiras que participaram nela. Também queremos agradecer as recentes amostras de apoio dos companheiros e companheiras do movimento antifascista em Portugal.

LAL SALAM /Saudos Vermelhos Camaradas!!!





 

sábado, 10 de abril de 2021

GALIZA: Galiza Vermelha súmase ao rejeitamento da visita do fascista e genocida Modi a Porto



Galiza Vermelha @GalizaVermelha 

Seguindo o chamado do Comitê Galego de Apoio a Guerra Popular na Índia, manifestamos o nosso maior rejeitamento à visita do fascista e genocida Narendra Modi.

Nós não seremos cúmplices.
Modi não passará!
Viva a Guerra Popular na Índia!

https://twitter.com/GalizaVermelha/status/1380805385486012419/photo/1